terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Água potável: Apenas 3% das águas são doces
COMENTE
A água potável é um recurso finito, que se espalha em partes desiguais pela superfície terrestre. Se, por um lado, seu ciclo natural se responsabiliza pela sua manutenção tornando-a um recurso renovável, por outro, suas reservas são limitadas.
A quantidade de água doce produzida pelo seu ciclo natural é hoje basicamente a mesma que em 1950 e que deverá permanecer inalterada até 2050. Essencial para a vida, a água doce tornou-se um problema em todos os continentes, levando a ONU (Organização das Nações Unidas) a criar em 2004 o Dia Mundial da Água - 22 de março.
Preocupar-se com a escassez de água em um planeta que tem 75% de sua superfície coberta por água parece absurdo. No entanto, a maior parte desse volume encontra-se nos mares e oceanos - água salgada, imprópria para o consumo humano e para a produção de alimentos.
Apesar de 75% da superfície do planeta ser recoberta por massas líquidas, a água doce não representa mais do que 3% desse total. Apenas um terço da água doce - presente nos rios, lagos, lençóis freáticos superficiais e atmosfera - é acessível. O restante está concentrado em geleiras, calotas polares e lençóis freáticos.

Consumo de água

Embora seja uma substância abundante em nosso planeta, especialistas alertam para um possível colapso das reservas de água doce, que vêm se tornando uma raridade em vários países. A quantidade de água no mundo permanece constante, ao passo que a procura aumenta a cada dia e, somada a essa, procura tem-se atitudes e comportamentos que vão do desperdício à poluição, resultando numa relação desigual entre natureza e seres humanos - enquanto as reservas de água estão diminuindo, a demanda cresce de forma dramática e em um ritmo insustentável.

Fonte: UOL Educação Pesquisa Escolar



sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Sustentabilidade no Lar

A decisão de por em prática atitudes sustentáveis em nossa casa resulta em mais qualidade de vida e menos gastos no orçamento doméstico, pois há um aproveitamento inteligente dos recursos. Ai vai dicas de sustentabilidade fáceis de aplicar em nosso ambiente.
1. Aproveite a luz natural
A utilização de portas e janelas de vidro favorece a entrada da luz solar para deixar a casa mais iluminada. Com essa medida, as lâmpadas são poupadas e a conta de luz é reduzida. Se não pode trocar as janelas, tente deixá-las abertas sempre que for possível. Também é recomendável pintar as paredes com cores claras porque refletem a luz e deixam o ambiente mais iluminado.
2. Troque as lâmpadas
As lâmpadas fluorescentes devem substituir as lâmpadas incandescentes porque duram mais e consomem menos energia. Embora as primeiras sejam mais caras, o investimento vale a pena pela economia gerada.
3. Evite o desperdício de água
Feche as torneiras da pia ou do chuveiro enquanto escova os dentes ou massageia o cabelo. Também não adie o conserto de vazamentos ou de torneiras que pingam. Utilize a máquina de lavar roupas (as que possuem níveis de água podem ser usadas com economia) e a máquina de lavar louças apenas quando estiverem cheias. Além de economizar, você pode adotar formas de reaproveitar a água. Lave as calçadas e o quintal com a segunda água eliminada pela máquina.
4. Compre aparelhos com Selo PROCEL
Eletrodomésticos e eletroeletrônicos certificados com o selo PROCEL apresentam melhor desempenho na economia de energia do que outros aparelhos.Para economizar ainda mais, desligue a TV e outros equipamentos que usam a luz de “stand by” pelo menos durante a noite.
5. Use ecobags
Substitua as sacolas de plástico por ecobags, aquelas sacolas reutilizáveis feitas de diferentes materiais. Nos supermercados já utilizamos bastante, mas que tal adotarmos em outras situações do dia a dia?
6. Diminua o tempo no banho
Sabia que 15 minutos debaixo do chuveiro, sem interrupções, gastam em média 243 litros de água? Além disso, o consumo de energia do chuveiro elétrico é alto, por isso evite deixá-lo ligado quando não for necessário.
7. Separe o lixo
Separe garrafas pets, latinhas, papéis e vidro para a reciclagem. Mesmo se não houver serviço de coleta seletiva em sua cidade, você pode enviar esse material para alguma instituição.
8. Reutilize os móveis
Escolha guarda-roupas, estantes, cômodas, mesas e outros móveis fabricados com madeira certificada. Você também pode reutilizar móveis antigos ou doá-los para que sejam transformados de maneira criativa.
9. Mantenha a geladeira bem fechada
A geladeira deve ser posicionada em um local fresco e longe do sol. Além disso, a borracha de vedação deve ser verificada constantemente. Quando ressecada, ela deixa escapar o ar frio, forçando mais o compressor e assim, gastando mais energia.
10. Facilite o escoamento da água da chuva
Reserve um espaço permeável no quintal ou jardim, como canteiros, gramados e pedriscos. Com isso, a água da chuva terá um meio para infiltrar na terra, diminuindo o risco de alagamento.
Com dicas simples, conseguimos melhorar ainda mais nossa casa e o ambiente em que vivemos. O planeta agradece.

Fonte: Site da Lu




quinta-feira, 1 de outubro de 2015









Trazer mais verde para dentro de casa nos dá vida, frescor e alegria
 Já que a cor quebra o peso de tons mais escuros. Uma planta pode ficar no chão, no balcão da cozinha ou até na mesa do centro da sala.
Mas e quando falamos em mini hortas urbanas? Elas são uma ótima forma de melhorar também os seus hábitos alimentares, já que temperos e ervas fresquinhos bem ao alcance das nossas mãos fazem muito  bem.
E nada de achar que isso é impossível porque você mora numa casa sem jardim ou quintal, ou ainda, num apartamento pequeno. É possível cultivá-la mesmo em espaços reduzidos, como áreas de serviço, varandas, jardineiras, ou até naquele cantinho da cozinha.
 Vale usar a criatividade com os materiais e ter diversos tipos de hortaliças como manjericão, cebolinha, salsinha, hortelã, erva-doce, alecrim. Além de fazer muito bem o contato com a terra, é uma delícia poder usar os alimentos plantados para dar um temperinho nos nossos pratos. As plantinhas também dão um outro efeito na decoração. Dá só uma:
1) LATAS             
O que fazer com as latas que não utilizamos mais? Muita coisa. Solte a criatividade e use diversas para acomodar os temperos ou ainda guardar utensílios de cozinha como colheres e mexedores. Vale encapá-las com tecido, contact, papel colorido ou até usar decotape. Com a ajuda de um martelo e de um prego faça um furo no fundo para que a água escoe.
2) CANECAS ou XÍCARAS
As canecas e xícaras também se transformam em ótimos pequenos vasos e dão charme para o balcão da cozinha, por exemplo. Elas podem ser penduradas, decorar uma mesa ou estante na sala de jantar.
3) GARRAFAS PET
Confesso que não é a maneira mais bonita de se ter uma horta em casa, mas existem incríveis projetos usando o material. Com elas, conseguimos fazer instalações, pendurar as plantas para tomar água da chuva, cultivar diversos tipos de ervas de uma só vez.
4) VASOS
Além do uso comum, os vasos são apropriados para quem pensa em criar uma horta vertical. Eles podem ser colocados na parede (olha que legal que ficam todos coloridos!) ou ainda fazer parte de estantes e escadas bacanas colocadas na varanda.
5) CAIXAS
Caixas de vinhos descartadas ou os famosos pallets dão um suporte legal para mini canteiros. Eles podem ser colocados tanto na horizontal quanto no vertical, e por serem maiores, nos permitem plantar verduras e legumes como alface, rúcula, etc


Fonte: Follow the Colours-info + fun

quinta-feira, 10 de setembro de 2015


O que fazer com o óleo de cozinha usado?
Jogar o produto pelo ralo polui e pode danificar os encanamentos. Descubra o jeito ideal para se livrar desse resíduo

Depois do preparo das refeições sobrou uma quantidade considerável de óleo na panela. O que fazer com este produto após seu uso? Muitos o jogam no ralo da pia, no vaso sanitário ou no lixo e se livram das sobras de forma prática e rápida.
Esta atitude, porém, pode trazer danos irreparáveis ao meio ambiente. Ao descer pelo ralo, o óleo vai para a rede de esgoto e pode entupir as tubulações e contaminar a água. Cada litro de óleo despejado no esgoto tem capacidade para poluir cerca de um milhão de litros de água.
A reciclagem do produto é uma saída sustentável para o problema. Existem diversas finalidades para o óleo de cozinha usado: produção de resina para tintas, sabão, detergente, glicerina, ração para animais e até biodiesel.
Escolha a melhor opção para você e minimize os impactos negativos causados ao planeta!

– Armazene e leve a um posto de coleta
Coloque a sobra da fritura em uma garrafa PET limpa e entregue em um posto de coleta para que seja reciclado corretamente. Pesquise e conheça os locais próximos da sua casa.
– Incentive o descarte correto
Conscientize seus vizinhos e colegas de trabalho sobre o descarte correto do óleo de cozinha. A arrecadação feita em escolas e empresas é muito importante, pois dá um fim adequado a um grande número de sobras.
Fonte: Envolverde Jornalismo & Sustentabilidade       


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

A sustentabilidade começa em casa

A sustentabilidade começa em casa
Muito se fala em sustentabilidade, e às vezes não nos damos conta de que este assunto não diz respeito somente as grandes questões ambientais, mas também as nossas ações cotidianas.
Adotar o conceito de sustentabilidade para o dia a dia não é tão difícil quanto parece tudo é uma questão de costume. Algumas recomendações são fundamentais para começar o processo, como:
·         Separar o lixo;
·         Economizar energia comprando aparelhos com boa avaliação no selo Procel, lâmpadas fluorescentes;
·         Escolher equipamentos que não tem CFC, HCFC e halons, que causam dano à camada de ozônio
·         Economizar água na hora do banho, de escovar os dentes e de dar descargas;
·         Sempre que possível, consuma produtos regionais, assim você o transporte, o que ajudar a reduzir a emissão de gases
·         Prefira sacolas biodegradáveis ou Eco-bags na hora de levar as compras para casa;

Estas são recomendações básicas e que, certamente, você já deve ter visto em algum lugar. Mas vamos mostrar para você que existe outra forma de fazer sua casa adotar um conceito sustentável: reciclando.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Alguns macetes pra economizar a água? Isso pode sim



Por onde começar? Eis algumas dicas:

1. Vou fechar a torneira durante a ducha, enquanto passo o sabonete no corpo.

2. Vou agir igual, quando escovo os dentes - não faz sentido algum ficar vendo a água escorrer durante a escovação.

3. Vou jogar o lixo no lixo - e não dentro da privada, evitando assim o uso da descarga.

4. Vou checar se a descarga está regulada, jeito simples de economizar água.

5. Vou parar de jogar na rua o que tenho nas mãos: basta chover para que esse lixo seja levado pela água para o bueiro, onde o lixo ganha volume e provoca alagamento.

6. Vou conversar com a vizinha e tentar convencê-la sobre o desperdício que é lavar a calçada. Porque a calçada não precisa de água, mas o planeta sim.

7. Vou mostrar ao meu pai que o carro pode ser lavado com a medida de água de um balde, o que evita usar a mangueira livremente.

8. Vou sugerir à minha mãe desviar a água da máquina de lavar para o tanque e, com ela, lavar o quintal.

9. Também vou mostrar para ela que a água usada para lavar frutas e legumes serve depois para molhar as plantas.

10. Vou mudar essa história de evitar o desperdício só em casa. Água é um bem coletivo - seja onde for, se estou gastando à toa, o resultado será negativo para todos nós.

Fonte: Educar para crescer